17/05/2019
Citados em delação do dono da Gol negam financiamento ilegal
 


As empresas e os políticos citados negaram as acusações do dono da Gol Henrique Constantino, feitas em delação premiada. Procurada para comentar, a Abear negou “veementemente” ter feito contribuições ilegais a políticos. “A Associação Brasileira das Empresas Aéreas desconhece o conteúdo da delação premiada do empresário Henrique Constantino, mas nega veementemente que já tenha feito qualquer contribuição financeira a parlamentares, por meio de contratos fictícios, em seus sete anos de atividade. A Abear reitera que está à disposição da Justiça e das autoridades competentes para prestar esclarecimentos a respeito”, diz a entidade, presidida por Eduardo Sanovicz.
A Gol, por meio de sua assessoria, afirmou: “ Henrique Constantino não faz parte da administração da companhia desde julho de 2016, quando deixou o Conselho de Administração. A companhia esclarece que sempre esteve à disposição, cooperando com as autoridades”. A Azul informou que “desconhece os fatos levantados”. A Latam, sucessora da TAM, também disse desconhecer os fatos e que “prestará esclarecimentos à Justiça caso seja acionada”. A Avianca não respondeu.
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou que “não recebeu nenhum tipo de benefício da Abear e que não conhece o delator”. A defesa de Romero Jucá classificou a acusação de “flagrantemente inverídica” e afirmou que as delações “têm tentado promover uma indevida criminalização da atividade política”. A defesa de Ciro Nogueira adotou a mesma linha: disse que os fatos são “inverídicos” e que as acusações tentam promover “indevida criminalização da política”.

Atual secretário de Turismo do governo do Rio, Otávio Leite diz nunca ter recebido repasses da Abear e que os recursos que obteve de campanha foram legais. O advogado de Marco Maia afirmou que o deputado não conhece Constantino e “aguardará o momento próprio para refutar as falsas acusações”. O ex-deputado Vicente Cândido também disse desconhecer a doação.

O ex-deputado Bruno Araújo reagiu: “Conheço Sanovicz e dezenas de outros representantes de entidades públicas e privadas. Todas as doações recebidas foram devidamente declaradas”. Edinho Araújo, por sua vez, ameaçou ir à Justiça contra Constantino: “Repudio com veemência a menção ao meu nome. Conheci Sanovicz na Câmara”.

Fonte: O Globo/ Foto: Foto: Jorge William / Agência O Globo
 
 
VEJA TAMBÉM
19/09/2019 - Com golaço no fim, Athletico-PR bate o Inter e ganha a Copa do Brasil pela primeira vez
19/09/2019 - AMAI e Cis-Amosc reivindicam recursos para saúde ao Governo do Estado
19/09/2019 - Câmara aprova projeto que estabelece novas regras para partidos e eleições
19/09/2019 - Petrobras eleva preço da gasolina em 3,5% e do diesel em 4,2%
18/09/2019 - Inter x Athletico
18/09/2019 - Bolsonaro sanciona mudança na Lei Maria da Penha
PEÇA SUA MÚSICA
  COMO ANUNCIAR
  TOP 10 MOMENTO
  ANIVERSARIANTES
  FÃ DA MOMENTO
  MURAL DE RECADOS
  PROMOÇÕES
  CLASSIFICADOS
  MENSAGEM DO DIA
  NOTÍCIAS
  GALERIA DE FOTOS
  AGENDA DE EVENTOS
 
© - Ideia Good - Soluções para Internet